Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

01/11/2012 às 12:57

Rio Grande do Sul estreita relações comerciais e culturais com Cuba

Escrito por: arco Aurélio Weissheimer/Carta Maior
Fonte: Opera Mundi / Carta Maior

Missão político-empresarial desembarcou em Havana com uma extensa agenda de acordos de cooperação e negócios

A bandeira de Cuba já não assusta ninguém no Rio Grande do Sul. Pelo menos não aqueles setores responsáveis pelo desenvolvimento do Estado, pela geração de emprego e renda. Uma missão político-empresarial articulada pelo governo gaúcho desembarca nesta quinta-feira (01/11) em Havana, com uma extensa agenda de acordos de cooperação e negócios.

“Houve overbooking de empresários querendo viajar a Cuba”, brincou Marcelo de Carvalho Lopes, diretor-presidente do Badesul Desenvolvimento – Agência de Fomento RS, ao comentar, durante entrevista coletiva no palácio Piratini, o grande interesse. Dos 56 integrantes da comitiva, 35 são empresários de diferentes setores da economia do Estado, principalmente dos de máquinas e implementos agrícolas e alimentação.

“A visão que orienta nossa política de desenvolvimento econômico e social está baseada numa conexão entre o local, o regional e o global”, disse o governador do Estado, Tarso Genro, ao falar sobre o objetivo da missão. “Cito um exemplo concreto disso. Neste momento, nós temos algumas dificuldades importantes para acelerar nossas exportações de máquinas agrícolas para a Argentina. De outra parte, o governo cubano inicia uma distribuição de 100 mil pequenas propriedades, dentro de um plano de desenvolvimento da agricultura familiar cubana que não tem o maquinário e os insumos necessários para responder a essa nova necessidade da economia. Então, temos trabalhado, desde o início do nosso governo um conjunto de relações que tem atraído investimentos para o Rio Grande do Sul”.

O governo gaúcho identificou, nas relações comerciais do Estado com Cuba, uma oportunidade de ampliação do comércio exterior do Rio Grande do Sul. As exportações gaúchas para a ilha caribenha representam hoje 38,6% do total das exportações brasileiras para aquele país. Os principais produtos dessa pauta de exportações são derivados de soja, arroz, móveis e construções pré-fabricadas.

Cuba ocupa hoje a 23ª posição no ranking de destinos dos produtos gaúchos, segundo dados do Badesul, relativos ao período entre janeiro e setembro de 2012. Com o objetivo de ampliar esses números, o Badesul colocou à disposição das empresas do Rio Grande do Sul uma linha de financiamento de R$ 40 milhões. Os beneficiários da linha Pró Exportación Cuba serão as empresas que tem em Cuba um de seus mercados externos e que, preferencialmente, já tem uma tradição de exportação para aquele país.

Liderada por Genro, a missão formada por secretários de Estado, empresários e representantes de instituições de ensino e pesquisa participará, de 2 a 5 de novembro, de uma série de encontros com autoridades do governo cubano. O objetivo é consolidar acordos de cooperação técnica nas áreas de medicamentos, biofertilizantes, agricultura familiar, economia solidária e cultura.

Um dos temas centrais da agenda é a produção de máquinas agrícolas. O Programa Mais Alimentos, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, tem uma linha de crédito de US$ 200 milhões para financiar esse setor. As negociações entre Cuba e o Rio Grande do Sul envolvem a produção de tratores em território cubano, por meio de uma associação entre empresas gaúchas e companhias locais.

Outra possibilidade é abrir novos mercados para cooperativas gaúchas de suínos, frango e leite. Para tanto, o Estado pode aproveitar a criação de uma linha de crédito de US$ 350 milhões, por meio do Programa de Financiamento às Exportações (Proex) para fortalecer a venda de produtos dessas cooperativas. Espumantes produzidos no Rio Grande do Sul também devem ser incluídos na pauta de negociações. A comitiva gaúcha contará, ainda, com representantes de setores de fármacos, calçados e cutelaria.

Essa missão dará continuidade as tratativas iniciadas em março deste ano, quando ocorreu a primeira viagem oficial do governo gaúcho a Cuba. O setor empresarial participa da missão com representantes das seguintes empresas e cooperativas: Cooperativa Central Gaúcha (CCGL), Stara, Agritech Lavrare, Fitarelli, Vence Tudo, Di Solle, Marcopolo, Martinazzo, Perfilline, além da Odebrecth, Dimed Panvel e cooperativas de agricultores familiares. Também compõem a comitiva entidades representativas, como Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no RS (Simers), Federação do Comércio do RS (Fecomércio), Federação das Indústrias do RS (Fiergs) e Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin).

Cultura e Economia Solidária

Nem tudo serão negócios na missão do governo gaúcho a Cuba. O secretário adjunto da Cultura, Jéferson Assumção, participa da comitiva com a missão de ampliar as parcerias institucionais na área cultural. Entre os temas que serão discutidos na missão estão a retomada da participação cubana no Festival de Cinema de Gramado, a publicação de edição bilíngue com autores gaúchos e cubanos e a criação de programas de formação cinematográfica a partir da experiência da Escola Internacional de Cinema e Televisão San Antonio de los Baños (EICTV). No sábado, o governador Tarso Genro visitará a EICTV, considerada uma das principais escolas de cinema do mundo.

A Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa, por sua vez, apresentará os projetos desenvolvidos no Estado, como o Programa Gaúcho de Microcrédito, a Cadeia Solidária Binacional do PET e Reciclagem de Resíduos Sólidos. O governo gaúcho também vai mostrar a experiência da Cadeia Solidária Binacional do PET às autoridades cubanas. O projeto integra a cadeia produtiva no setor de reciclagem da garrafa PET no RS. A ideia é desenvolver um projeto de intercâmbio entre o RS e Cuba - por meio da Secretaria de Economia Solidária e um grupo de empresas de recuperação de matérias primas do país caribenho.