Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

03/10/2016 às 13:47

Serpro propõe redução de jornada e salários em 25%

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

O Serpro está propondo aos seus trabalhadores a redução da jornada de trabalho e a consequente redução do salário em até 25%. A negociação com os empregados está acontecendo. A estatal justifica a proposta como consequência da conjuntura econômica e a necessidade de reduzir a folha de pagamento. No modelo proposto, a economia do Serpro pode chegar a R$ 187 milhões.
 
No encontro com os trabalhadores, realizado na terça-feira, 27/09, foi discutido o estudo feito por uma comissão de servidores e empresa que traçou o panorama funcional atual e potenciais impactos da redução da jornada em 1 ou duas horas diárias – com base nos quase 9 mil empregados do quadro interno com jornada atual de 8 horas. 
 
Os sindicatos sustentaram que a redução da jornada com manutenção dos salários tem impactos positivos na produtividade e na percepção salarial. Mas os representantes do Serpro apresentaram como contraproposta uma redução de jornada e salários em 25%. 
 
A estatal sugeriu ainda, conforme a ata da reunião que “os empregados enquadrados na regra do Acordo poderiam solicitar a redução de sua carga horária de trabalho de 40 para 30 horas semanais, mediante redução de 25% na referência salarial, com reflexos nas demais vantagens e direitos a ela vinculadas. Os valores relativos a Gratificação de Função Específica (GFE) deveriam observar o limite máximo de 60% do valor da referência salarial do empregado e, havendo necessidade de readequação de nível, deveria também haver a adequação do prazo e dos projetos designados.”
 
Para os sindicatos, a proposta “apresenta-se muito distante do pleito dos trabalhadores”, visto que “a redução proporcional de salário não atende aos objetivos pretendidos e impacta fortemente no poder aquisitivo dos trabalhadores”. Com base nas projeções apresentadas, o corte de custos nos moldes propostos, com redução da jornada para 6 horas e igual redução salarial, seria de até R$ 186,7 milhões no caso da adesão de 100% dos funcionários – considerando-se os 8.989 que trabalham 40 horas semanais. 
 
Segundo o registro da reunião divulgado pela Fenadados, “a empresa entende o pleito dos empregados por redução da jornada sem redução salarial, porém, ressalta que o atual cenário macroeconômico não permite a adoção dessa medida, pelo contrário, as ações que a empresa vem adotando vão no sentido de aumentar suas receitas e diminuir seus custos. Neste sentido, a redução da jornada de trabalho se torna uma medida importante no auxílio ao cumprimento dessas expectativas da empresa, uma vez que ela tem o potencial de reduzir os custos com a folha salarial.”
 
O Serpro não quis adiantar qual a meta esperada para a redução. Em nota, a estatal explica que fez uma contraproposta à questão colocada pelos funcionários: 
 
"A redução da jornada de trabalho foi uma proposta apresentada pelo Serpro em atendimento à reivindicação dos empregados. O pedido de diminuição da jornada foi trazido em audiência de conciliação, realizada em 2015, na justiça do trabalho. Foi, então, criada, em janeiro de 2016, uma comissão de estudo a respeito do assunto. Em setembro, foi iniciada a negociação e o Serpro apresentou a proposta de redução da jornada de trabalho com diminuição de 25% na referência salarial, o que correspondente à diminuição da carga horária. A proposta apresentada pelo Serpro ainda está em processo de negociação e não é possível prever, até o momento, quantos empregados farão adesão, e consequentemente, quais serão os efeitos na folha salarial."