Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

06/11/2012 às 10:15

Tapete vermelho a Gonzagão

Escrito por: JULIANA COLARES
Fonte: Correio Braziliense

Na entrega da Ordem do Mérito Cultural 2012, Dilma e Marta Suplicy roubam a cena com glamour e desenvoltura. Luiz Gonzaga foi o homenageado do dia  

Menos de dois meses à frente do Ministério da Cultura, Marta Suplicy aproveita todos os momentos para imprimir o “estilo Marta” em sua gestão. Foi assim na cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural 2012, ontem, no Palácio do Planalto. “Tudo teve o meu toque”, disse a ministra, que contratou um diretor de teatro para produzir a solenidade. Um tapete vermelho foi colocado na entrada, ladeado por mais de 150 vasos com folhagens e cactus. Para recepcionar os convidados, um casal de atores representou Lampião e Maria Bonita ao som de um trio de zabumba, sanfona e triângulo. O sanfoneiro era Marcos Farias, afilhado de Luiz Gonzaga, o grande homenageado da festa.

“Foi completamente diferente das solenidades que nós estamos habituados a vir”, disse Marta Suplicy. “Eu vinha muito como senadora e achava que a cultura tinha de ter um evento diferenciado, que simbolizasse que ela é a alma brasileira. Cuidei de todos os detalhes”, complementou. Em 23 de outubro, a ministra teve a primeira reunião com o diretor de teatro Antonio Gilberto, que ficou responsável pela direção geral da cerimônia. “Ela me disse que, apesar de ser no Palácio do Planalto, gostaria que tivesse um toque artístico, já que o evento era para personalidades que se destacaram na cultura”, comentou.

A ministra fez questão que houvesse música. Asa Branca, de Luiz Gonzaga, foi cantada por Elba Ramalho, Daniel Gonzaga (neto de Gonzagão) e Chambinho do Acordeon, músico e ator no filme Gonzaga, de pai para filho. Com piano e sanfona, a música foi executada em tom mais solene que a versão do Rei do Baião. Marta cumpriu a tarefa de casa, mas esqueceu um detalhe. Como não assistiu ao filme, a ministra não reconheceu Chambinho, que interpretou o artista na juventude. Dilma Rousseff não só viu a película como recomendou à plateia. “A presidente perguntou: ‘É o ator do filme?’. Eu disse: ‘Eu acho que é, mas não sei”, contou a ministra.

Marta quis imprimir sua marca, mas a presidente roubou a cena. Seu novo “jogo de cintura” nos discursos ficou ainda mais evidente ontem. Por um instante, a plateia chegou a pensar que ela iria cantar. Mas, confessando sua inabilidade para o ofício, ela recitou a primeira estrofe de A Vida do Viajante, de Luiz Gonzaga. Após ler o trecho “Minha vida é andar por esse país”, a presidente olhou para a público, que a aplaudia rindo, e brincou: “Desculpa, Elba. Desculpa, Fafá”, direcionando-se as duas cantoras que também estavam sendo agraciadas pelo prêmio, Fafá de Belém e Elba Ramalho.


Elogios
A presidente elogiou a voz da intérprete paraibana. Elba, retribuiu. “Também sou fã dela”, disse. “Dilma é competente, inteligente e simpática. Ela só deve ser antipática com quem não presta”, disse outro agraciado com a medalha de Ordem do Mérito Cultural, Alceu Valença, em uma referência à falta de unanimidade quanto à simpatia da chefe do Executivo.

Quem também ficou encantado com a desenvoltura da presidente foi o Maestro Forró, da Orquestra Popular Bomba do Hemetério. Ele recebeu a medalha das mãos de Dilma e aproveitou para contar que esteve recentemente em Gábrovo, na Bulgária, cidade do pai dela, onde viu um desenho da presidente do Brasil no Museu da Caricatura. O músico, que foi à Bulgária produzir um programa de TV, aproveitou para gravar um coral local cantando em português para Dilma. Após o evento, foi aberta a exposição O imaginário do rei, sobre Luiz Gonzaga.


O maestro entregaria a gravação à presidente ontem à noite, na recepção que foi oferecida aos agraciados no Palácio da Alvorada. O evento contou com a presença da ministra Marta Suplicy, dos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Educação, Aloizio Mercadante, e o presidente do Senado, José Sarney. Também à noite, imagens de Luiz Gonzaga foram projetadas no Congresso Nacional, fechando o Dia Nacional da Cultura.

Trabalhadoras fazem protesto
Com sombrinhas nas cores do Brasil, cerca de 300 mulheres, muitas com crianças de colo, interromperam o trânsito no Eixo Monumental, em frente ao Palácio do Planalto por cerca de 15 minutos. Trabalhadoras rurais da fazenda Suiá-Missú, localizada em Mato Grosso, pediam que a presidente Dilma Rousseff interviesse para reverter a ordem de despejo que receberam. “Viemos pedir socorro. A Funai quer nos tirar de nossas terras e nos jogar na beira da BR”, disse Vanderleia Martins, 38 anos. O protesto começou pouco antes da solenidade de entrega das medalhas da Ordem do Mérito cultural e logo foi disperso.

“A cultura tinha de ter um evento diferenciado, que simbolizasse que ela é a alma brasileira”
Marta Suplicy, ministra da Cultura

Agraciados
» Abelardo da Hora
Escultor, pintor, desenhista, gravurista e ceramista

» Aguinaldo Silva
Dramaturgo, novelista, jornalista e escritor

» Alceu Valença
Cantor e compositor

» Almir Suruí
Cacique Suruí

» Anna Muylaert
Diretora e roteirista

» Autran Dourado
Escritor

» Bloco Afro Olodum
Organização afro-brasileira e grupo de percussão

» Breno Silveira
Fotógrafo, diretor e cineasta

» Carlos Alberto Cerqueira Lemos
Arquiteto, professor e artista plástico

» Cleodes Maria Piazza
Julio Ribeiro
Licenciada em línguas neolatinas, mestre em teoria da literatura e doutora em educação

» Dona Ifigênia (in memorian)
Filha de ex-escravos, viveu 104 anos. Foi parteira e benzedeira

» Dener Pamplona de Abreu
(in memorian)
Estilista, foi precursor da alta-costura brasileira

» Escola de Dança e Integração Social para Criança e Adolescente
Usa a dança para promover a arte e a cultura

» Elba Ramalho
Cantora

» Fafá de Belém
Cantora e atriz

» Felipe Schaedler
Chef

» Fundação Municipal de Artes de Montenegro
Realiza a difusão de diferentes manifestações artísticas

» Hebe Camargo (in memorian)
Apresentadora de televisão, atriz, humorista e cantora

» Herivelto Martins (in memorian)
Compositor, cantor, músico e ator

» Irmãos Campana
Humberto Campana é formado em direito. Fernando, em arquitetura. Juntos, reaproveitam materiais para criar objetos e mobílias
» Isay Weinfeld
Arquiteto, já assumiu as funções de professor, cenógrafo e diretor de filmes

» Ismail Xavier
Ensaísta, crítico de cinema, professor e escritor

» Jorge Amado (in memorian)
Escritor, foi eleito em 1961
para a cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras

» José Sarney
Político, escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, foi o 31º presidente do Brasil e governou o estado do Maranhão. É presidente do Senado Federal

» Marieta Severo
Atriz

» Mário Schenberg (in memorian)
Político, físico e crítico de arte

» Martha Medeiros
Escritora e colunista dos jornais Zero Hora e O Globo

» Mazzaropi (in memorian)
Circense, cineasta, produtor, roteirista e ator

» Miguel Takao Chikaoka
Fotógrafo

» Milton Guran
Antropólogo e fotógrafo

» Movimento Gay de Minas
Organização não-governamental

» Museu Histórico Nacional
Museu de Valores do Banco Central do Brasil

» Orlando Orfei
Empresário, diretor circense, domador, músico, pintor, escritor, dublê de cinema e de televisão

» Orquestra Popular
Bomba do Hemetério

» Paulo Goulart
Ator, dramaturgo e
produtor teatral

» Plínio Marcos (in memorian)
Dramaturgo, ator, jornalista, escritor de peças teatrais, jogador de futebol e palhaço

» Raquel Trindade
Artista plástica, poeta, dançarina, coreógrafa e terapeuta ocupacional

» Regina Casé
Atriz e apresentadora

» Rose Marie Muraro
Escritora feminista graduada em física e economia

» Silvio Santos
Empresário e apresentador

Leia mais sobre a exposição em homenagem
a Luiz Gonzaga no caderno Diversão&Arte