Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

12/03/2018 às 20:13

Telefônica promete investir R$ 26,5 bilhões em três anos

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Com o fim do acordo de investimentos a partir da troca de multas com a Anatel, a Telefônica promete aportes de R$ 24 bilhões nas redes fixa e móvel no triênio 2018 a 2020, conforme comunicado ao mercado divulgado pela operadora nesta segunda, 12/3, na Comissão de Valores Mobiliários.
 
Ainda segundo a empresa, outros R$ 2,5 bilhões serão investidos ao longo do mesmo período destinados exclusivamente à aceleração da expansão da rede de fibra óptica. 
 
As redes de fibra óptica seriam a parte principal dos investimentos negociados com a Anatel para a troca de aproximadamente R$ 3 bilhões em multas não pagas que tinham sido aplicadas pelo regulador. O acordo, no entanto, foi encerrado com a recusa da empresa em aceitar os termos colocados pela agência. 
 
Nova York
 
Nesta segunda-feira, a Vivo comemorou 20 anos de listagem na Bolsa de Nova York, a NYSE. Para comemorar o feito, a empresa foi convidada para liderar a cerimônia do "Closing Bell", que acontece no fechamento do pregão. Estarão presentes o presidente da companhia, Eduardo Navarro, o COO (Chief Operating Officer), Christian Gebara, e o CFO (Chief Financial Officer), David Melcon. 
 
"O volume de negociações na bolsa nova-iorquina reflete os fundamentos sólidos de nossa estratégia que nos permitem obter resultados consistentes ano após ano", afirmou Navarro. A maior parte das transações das ações da Telefônica Brasil, dona da marca Vivo, ocorrem na NYSE, garantindo alta liquidez a seus papéis.
 
O vice-presidente executivo (COO), Christian Gebara, destacou o processo de transformação digital da empresa com os clientes: o aplicativo de autoatendimento Meu Vivo já conta com 13 milhões de usuários, diz. "Hoje, o foco é aumentar de maneira significativa o atendimento e vendas por canais online, em todos os segmentos de clientes", conclui.
 
As ações da companhia fazem parte do Dow Jones Brazil Titans Index, que é composto pelas 20 maiores e mais líquidas ADRs (American Depositary Receipt) negociadas nas bolsas americanas.