Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

22/11/2016 às 18:09

Teles querem usar modelo de Uberlândia para triplicar antenas em São Paulo

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

As operadoras de telecomunicações querem transformar a mineira Uberlândia como modelo a ser seguido pelos municípios brasileiros – a cidade foi eleita como a mais ‘amiga da banda larga’ ao ficar em primeiro lugar em um ranking elaborado pelas empresas com os municípios onde é menos difícil implantar infraestrutura. 
 
“Na próxima semana vamos levar o case de Uberlândia para o [prefeito eleito de São Paulo] João Dória adotar na maior cidade do país”, avisou o presidente da Associação Brasileira de Telecomunicações, e da Algar, Luiz Alexandre Garcia, durante o Painel Telebrasil 2016, realizado nesta semana em Brasília. 
 
Além de premiar o prefeito Gilmar Machado, que patrocinou mudanças legais no município mineiro, o Painel discutiu as dificuldades para ampliação de redes, notadamente antenas. E como fica claro no ranking das amigas da banda larga, as principais metrópoles do país aparecem entre as mais difíceis para implantação de redes. 
 
O ranking avaliou as 100 maiores cidades do Brasil. Brasília, a terceira maior região metropolitana do país, aparece em 90. É seguida por São Paulo (91), Porto Alegre (92), Fortaleza (94), Goiânia (96) e Belo Horizonte (98). Juntas com Ribeirão Preto (93), Contagem (95), Niterói (97), São José do Rio Preto (99) e Petrópolis (100), o pé da lista reúne cerca de 25 milhões de pessoas. 
 
Foram consdiradas restrições, burocracia, prazo e onerosidade para a implantação da infraestrutura. Ou seja, as melhores são aquelas em que o prazo é menor, há poucas restrições, centralização de procedimentos e de preferência sem taxas. Nas piores, uma licença não sai em menos de seis meses, há restrições e mesmo vedações de instalação em certas áreas, bem como exigências coo anuência de vizinhos. 
 
“Mesmo a melhor cidade, Uberlândia, leva três meses para autorizar, quando a lei fala em dois meses. A ideia é que não apenas sejam premiados os melhores colocados, mas também mostrar as que evoluíram mais. O objetivo do ranking é incentivar as prefeituras a se mexerem e reverem sua legislação”, explicou Eduardo Tude, da consultoria Teleco, responsável pelo ranking. 
 
Nas palavras do prefeito da primeira do ranking, as cidades ganham com a infraestrutura. “Se não podemos ajudar, pelo menos não vamos atrapalhar. Uberlândia já foi a cidade da logística, a cidade do atacado, e vai ser a cidade da tecnologia. Cada um tem que fazer sua parte, estamos fazendo a nossa”, afirmou Gilmar Machado.