Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/12/2015 às 13:35

Tribunal condena jornalista japonês por difamar presidente sul-coreana

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Jornalista disse que presidente estava em encontro amoroso durante acidente

O jornalista japonês Tatsuya Kato foi considerado culpado por difamar a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, em uma notícia sobre o paradeiro dela após o naufrágio de um ferryboat com mais de 300 pessoas a bordo.
 
De acordo com a agência de notícias Ansa, o texto, publicado no jornal Sankei Shimbun, sugeria que a presidente havia desaparecido por algum tempo para um encontro amoroso com um antigo assessor. O tribunal de Seul considerou que a matéria foi baseada em "rumores infundados".
 
O crime de difamação na Coreia do Sul estabelece penas de até sete anos de detenção. O jornalista negou as acusações e argumentou que o objetivo era servir o interesse público ao relatar o paradeiro da presidente durante o acidente.
 
A presidente e o governo sul-coreano foram criticados pelo fracasso na operação de resgate das vítimas e e mídia do país insistiu em questionar porque a chefe de Estado teria desaparecido no dia desastre.
 
A acusação do jornalista japonês levantou questões sobre a liberdade de imprensa na Coreia do Sul. Críticos ao governo acusaram a Park de reprimir os jornalistas numa tentativa de controlar a sua imagem na imprensa.