Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

20/01/2011 às 23:27

TV Digital: Casa Civil e Minicom definem estratégia no Governo Dilma

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann*
Fonte: Convergência Digital

A gestão do processo de implantação da TV Digital no país será decidida em uma reunião, ainda não agendada oficialmente, entre os ministros da Casa Civil, Antônio Palocci, e das Comunicações, Paulo Bernardo. Ainda não foi definido se o assunto continuará no Planalto ou será deslocado para o Minicom.

“Faz sentido manter a TV Digital na Casa Civil porque já está lá. Mas também faz sentido trazer para cá. Ainda não decidimos. Já combinei de conversar com o Palocci sobre isso”, afirmou o ministro Paulo Bernardo.

O ministro também disse que tem “algumas ideias” para a TV Digital, mas que prefere não adiantar nenhuma delas antes da reunião com o ministro chefe da Casa Civil sobre o destino do trabalho atual de migração e promoção do ISDB-T pelo mundo.

A TV Digital era a principal atribuição do assessor especial André Barbosa, que chegou a ser convidado para ir para o Ministério das Comunicações, mas preferiu, ao menos por enquanto, continuar na Casa Civil.

A TV Digital pode vir a ter um papel relevante na estratégia de inclusão digital no país. Isso porque há uma expectativa do governo que até 2014 se tenha um parque efetivo de televisores já adaptado ao padrão nipo-brasileiro - a migração de sistema está prevista para 2016.

O Minicom divulgou um comunicado onde afirmou que a produção brasileira de TVs com o conversor digital integrado ultrapassou a marca de 6 milhões de aparelhos no ano passado. A partir de 2011, de acordo ainda com o ministério, o número deve ser ainda maior, já que todas as televisões com tela maior ou igual a 26 polegadas terão de chegar às lojas com o conversor integrado.

Em 2010, a obrigatoriedade valia para as TVs com tela maior ou igual a 32 polegadas. Quem ficar com o controle da TV digital terá duas tarefas relevantes em 2011: Massificar o uso do conversor - principalmente no parque de televisores antigos e fomentar o uso da interatividade, por meio, do Ginga, o middleware brasileiro.

Segundo ainda dados oficiais, o sinal digital está disponível para cerca de 90 milhões de consumidores, em 425 municípios espalhados por todos os Estados do Brasil.

*Colaborou Ana Paula Lobo