Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

20/09/2012 às 09:00

Um chip nacional para o rastreamento de gado

Escrito por: Ana Cecília Americano
Fonte: O Estado de S.Paulo

Ceitec prepara-se para produzir até 7 milhões de unidades em 2013, de olho na demanda do País  

Começam a dar frutos os R$ 500 milhões investidos pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação a partir de 2008 no Ceitec - uma empresa que reúne uma design house de chips e uma fábrica de circuitos integrados. Vários produtos já foram ou estão em desenvolvimento no nicho de mercado a que o centro se dedica, os circuitos de 0.6 mícron - ou milionésimo de metro - usados, por exemplo, em chips de radiofreqüência. O mais conhecido dos produtos já lançados, o chip do boi, armazena diversas informações sobre o animal que, ao passar perto de um sensor, tem seus dados captados automaticamente.

"O produto já foi testado e temos uma produção inicial de 1 milhão de peças feita numa fábrica da Alemanha", afirma d superintendente de desenvolvimento de produtos e negócios da estatal, Reinaldo de Bernardi. Paulatinamente, a fabricação será transferida para a região de Porto Alegre até que, em 2013, a produção alcance os mil wafers (fatia fina de silício usada na fabricação de circuitos integrados) por semana. Em cada wafer há 7 mil componentes.

Não falta demanda para o produto desenvolvido no país. "São 40 milhões de novas cabeças de gado nascidas anualmente por aqui", exemplifica Bernardi. Outros chips em desenvolvimento pelo Ceitec dizem respeito à identificação de produtos de supermercados, bagagens aéreas, bolsas de sangue, medicamentos, passaportes, documento de identidade... "Estamos falando de um potencial de mais 50 milhões de unidades por ano", calcula o executivo. E, além do governo federal, a HP, adquiriu neste ano 100 mil unidades de chips do Ceitec para identificar suas impressoras.

O complexo fabril do Ceitec

O único no gênero na América Latina - ocupa 14,7 mil metros quadrados e terá capacidade para produzir até 100 milhões de chips por ano. Além de fabricar os produtos da Ceitec, ele será importante, ainda, para as design houses brasileiras.